14.5 C
Brasília
- PUBLICIDADE -
InícioBrasilEm dia de calor forte, pelo menos 41 blocos desfilam pelas ruas...

Em dia de calor forte, pelo menos 41 blocos desfilam pelas ruas do Rio

Publicado em

Com previsão de temperatura máxima de 38 graus Celsius (ºC), o Rio de Janeiro teve mais um dia de ruas lotadas de blocos de carnaval. Mesmo com o forte calor, uma multidão tirou a fantasia do armário e aproveitou a folia. Se forem considerados apenas os blocos oficiais, regularizados pela prefeitura, 41 vão desfilar ao longo de toda essa segunda-feira (12) na cidade, segundo a Riotur.

Um dos destaques do dia foi o Sargento Pimenta, que se apresentou no Aterro do Flamengo, altura da Glória, na zona sul. O grupo, que tem como foco as músicas dos Beatles, dessa vez intercalou clássicos do conjunto britânico com os sucessos da cantora Rita Lee, a homenageada desse ano.

All You Need Is Love no ritmo do maracatu; Hey Jude em ciranda; Can’t Buy me Love no coco, e I Want to Hold You Hand no samba, foram algumas das canções tocadas pelos 100 instrumentistas do bloco. Rita Lee foi celebrada com: Pagu, Lança Perfume, Erva Venenosa, e outros sucessos.

“Trabalhamos o ano inteiro para fazer esse carnaval. A oficina de músicos começou em maio passado. Então, estamos há muito tempo nos preparando para esse trabalho bonito, que mescla as músicas dos Beatles com os ritmos brasileiros. E esse ano viemos homenagear a Rita Lee, que era grande fã dos Beatles”, disse Fernando Reznik, fundador, diretor musical e mestre de bateria.

Vestido de Obelix, personagem do quadrinho francês Asterix, o engenheiro Silvio Seroa foi ver pela primeira vez o Sargento Pimenta.

“Escolhi o Sargento Pimenta porque é um bloco que está crescendo, virando tradição e eu queria conhecer. E gosto da Rita Lee, um ícone do rock brasileiro. Vale a pena prestigiá-la”, disse Sivio.

Desfile florido

Também pela manhã, o desfile do Vem Cá, Minha Flor tomou conta do Centro do Rio. O bloco tem quase 10 anos de existência e costuma ser conhecido como democrático. Não tem corda em volta da bateria e reúne pessoas de diferentes lugares, idades e estilos.

A multidão cantou sem parar os sucessos de carnavais antigos e atuais. Os componentes do bloco trouxeram flores nas mãos, nos cabelos e nas fantasias.

“Estar aqui também é sinônimo de resistência. Uma mulher, principalmente uma mulher preta à frente de uma bateria é uma construção diária para conquistar o respeito das pessoas. É muito gratificante!”, disse Raquel Carvalho, maestrina e diretora musical.

A portuguesa Maria Abelardo passa pela primeira vez o carnaval no Rio e ficou encantada com o que viu. “Em Portugal, nós temos blocos de rua, mas nada comparado ao que estou vendo aqui. É mágico!”.

Fonte: Agência Brasil

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas notícias

- PUBLICIDADE -

Você pode gostar