20.5 C
Brasília
- PUBLICIDADE -

Publicado em

Mobilização na internet promete reunir grande número de pessoas para

manifestação no DF pela obrigatoriedade do bafômetro na lei seca

Como forma de protesto a morte da comerciante, Bruna de Oliveira Carneiro, 20 anos, vítima de acidente de trânsito ocorrido no último dia 14, familiares e amigos iniciarão nesse sábado (30) o Movimento Bruna Pela Vida na internet. A partir do meio-dia, integrantes de comunidades voltadas para Bruna no Orkut e Facebook publicarão simultaneamente no perfil de suas redes sociais uma foto padrão onde cada um irá segurar uma folha em branco constando nome e endereço do blog do grupo criado recentemente. O movimento também irá realizar divulgação com mensagens em massa no Twitter e em vídeos publicados no Youtube.

Segundo Bárbara de Oliveira, irmã de Bruna, o objetivo é atrair curiosos e reunir o maior número possível de pessoas para passeata prevista para o próximo dia 20 que tem como iniciativa conscientizar o uso do cinto de segurança e reivindicar a obrigatoriedade do teste do bafômetro na lei seca. “Faremos um apitaço com faixas, cartazes e balões para tirar o povo de casa para lutar com a gente contra a injustiça que aconteceu com nossa amiga e com tantas outras vítimas como as do caso César Timponi, da Ponte JK”, promete Clarice Gulyas, uma das organizadoras da manifestação.

De acordo com testemunhas, o motorista, Allan Frederico da Silva Chamoro, 20 anos, dirigia um Astra placa JGS-0664/DF em alta velocidade e sob o efeito de álcool após deixar uma danceteria na 403 sul com destino a sua casa, na Asa Norte. O jovem, que não teve ferimentos, perdeu o controle do veículo, causando um capotamento na altura da quadra 601 norte. Bruna estava sem o cinto de segurança no momento do acidente e foi arremessada para fora do veículo. Ela sofreu traumatismos cranianos, resistiu por uma semana em coma no Hospital de Base e faleceu no último dia 20.

Fontes próximas da vítima, que preferem não se identificar, afirmam que Allan teria se recusado a fazer o bafômetro no momento em que a perícia chegou ao local. E temem que o condutor não seja punido por dirigir bêbado. “Agora, se ele quiser dizer que não bebeu, ele vai poder porque, infelizmente, é um direito de qualquer um se recusar a fazer o bafômetro e não produzir provas contra si mesmo. Esse acidente não foi uma mera fatalidade, mas sim uma irresponsabilidade”, se emociona um dos amigos de Bruna.

A caminhada do Movimento Bruna Pela Vida terá a participação de pelo menos 200 pessoas e conta com a presença confirmada dos deputados federais Reguffe e Erika Kokay, e de diversas ongs como a Rodas da Paz. Personalidades como a cantoria brasiliense Marcy Mars, a travesti do caso Ronaldo Fenômeno, Angélica Castro, a ex-Miss Brasil Gay, Renata Finsk, e a atriz italiana, Alessandra Leahr, também abraçaram a causa prestando solidariedade em mensagens de apoio nas redes sociais. “Não é de hoje que estamos de plateia para várias injustiças como a da nossa querida Bruna e outras como Eliza Samudio. Infelizmente a Bruna não será a primeira, nem a última a sofrer uma coisa dessas. Precisamos avançar muito para que o Brasil e os politicos que estão no poder tomem vergonha na cara”, revolta-se Angélica.

Quem quiser participar do Movimento Bruna Pela Vida, basta ingressar na comunidade do Orkut Justiça Por Bruna Carneiro ou se informar pelo blog www.BRUNAPELAVIDA.blogspot.com

Feed

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas notícias

- PUBLICIDADE -

Você pode gostar