27.5 C
Brasília
- PUBLICIDADE -
InícioDistrito FederalCulturaProjeto leva benefícios da música a alunos da rede pública de Samambaia...

Projeto leva benefícios da música a alunos da rede pública de Samambaia e Sol Nascente

Publicado em

A ideia de que a música torna a vida mais bela está presente na mente de todas as pessoas sensíveis à arte e são estas pessoas que trabalham para colocar em prática tal ideia, valendo-se de suas habilidades profissionais, que podem ser melhor aproveitadas, caso haja recurso para isso.

Assim nasceu a parceria entre a Associação Artise de Arte, Cultura e Acessibilidade; o Instituto Brasília Sol Nascente; a Banda Requebrart e o Ministério da Cultura na concepção do Projeto Musicando a Vida, que será desenvolvido em Samambaia e no Sol Nascente/Por do Sol, a partir do dia 4 de março de 2024 e prosseguirá nas próximas 20 semanas.

As aulas teóricas, práticas e de demonstrações musicais serão ministradas na Escola Classe 511, situada na Área Especial da QR 511 de Samambaia Sul, Telefone3359 1021, pela manhã. À tarde, na Escola Classe JK Sol Nascente, Quadra 500, Área Especial 01, Trecho 01, Telefone: (61) 99994-5124

A meta do projeto é atender 240 alunos do ensino fundamental da rede pública destas cidades do sul do DF, divididos em quatro turmas de vinte alunos, nas modalidades de Musicalização em Flauta doce, Canto Coral, e Percussão, totalizando carga de 80 horas/aula para cada turma do projeto.

As inscrições serão realizadas após a realização de aulas-espetáculo, nas duas escolas em questão, com apresentações musicais e palestras para toda a comunidade escolar, com o objetivo de sensibilizar e estimular os alunos a se inscreverem para os cursos.

Responsabilidade

O cantor e líder da Requebrart, Alexandre Ramos e Silva – o Xande – que, há anos, vem usando a popularidade da banda para promover ações sociais na região, explica que o projeto Musicando a Vida já beneficiou mais de mil crianças da região, entre 2013 e 2016 e, muitos deles, hoje, fazem parte das fanfarras e bandas marciais do Exército e de outras organizações musicais.

Segundo Alexandre, que também é coordenador-geral do projeto, até então, o Musicando a Vida foi desenvolvido em parceria com a comunidade, por meio do projeto social Guarda Mirim. Mas, a partir deste ano, vai contar com verba pública federal, o que para o cantor facilita as coisas, mas aumenta a responsabilidade na administração do projeto.

“Vamos usar a verba para comprar as flautas e remunerar os instrutores e profissionais que vão trabalhar, mas ainda assim, a Banda Requebrart precisa emprestar bateria, surdo, atabaques, pratos, atabaques, tamborins, repiniques e caixas, para as aulas práticas, pois o valor da verba é limitado,” explica.

Ativação da criatividade

O empenho de Alexandre na realização deste projeto vem da constatação de alguns estudos científicos que dão conta de que a musicalização tem grande impacto na formação, no desenvolvimento e na ativação da criatividade, da consciência corporal, da memória e do senso rítmico das crianças. “O que amplia a capacidade de aprendizagem e a disciplina dos alunos,” reforça o cantor.

Alexandre acrescenta que a musicalização na fase de desenvolvimento das crianças contribui ainda para o seu desenvolvimento afetivo, cognitivo, linguístico e psicomotor.

Apesar de todos estes benefícios, o músico não entende porque a musicalização de crianças ainda não é obrigatória nos planos pedagógicos do ensino infantil no Distrito Federal e cobra da Secretaria de Educação providências neste sentido.

“Como minha vida é dedicada à música, eu sei o bem que ela faz a mim e aos componentes de minha banda. Desta forma, concebemos o Musicando a Vida para oferecer esta oportunidade ao maior número de crianças possível,” esclarece o líder da Requebrart.

Benefícios da metodologia

O maestro Alex Paz, presidente da Associação Artise de Arte, Cultura e Acessibilidade, outra parceira da nova fase do Musicando a Vida, também aponta os benefícios que a metodologia da musicalização traz às crianças.

Para ele, a metodologia desenvolve o lado psíquico-emocional, o que fortalece os vínculos afetivos com o processo educacional de forma geral.

Outro aspecto apontado pelo maestro, que é o coordenador educativo do Musicando a Vida no processo de musicalização de crianças é o estímulo que a técnica proporciona na formação de plateias e de futuros profissionais da música.

O Musicando a Vida, além das atividades de musicalização e das aulas-espetáculo, com as Bandas Sinfônica de Sobradinho e Requebrart de Samambaia, vai realizar palestra para apresentar os instrumentos, suas origens e a demonstração individual de cada um deles para que os alunos conheçam os seus timbres.

O projeto será encerrado com a apresentação dos alunos participantes, que demonstrarão à comunidade escolar os conhecimentos adquiridos durante as aulas.

Serviço:
Projeto Musicando a Vida, para musicalização em Flauta doce, Percussão e Canto coral, com participação das Bandas Requebrart e Sinfônica de Sobradinho
Local: Escola Classe 504 de Samambaia e Escola Classe JK do Sol Nascente
Público a ser atendido: 240 crianças do ensino fundamental das duas escolas do ensino fundamental, com cursos de Musicalização em flauta doce, Percussão e Canto coral
Inscrições nas duas escolas, após as aulas-espetáculo com as bandas citadas
Aulas duas vezes por semana, de manhã e à tarde.

Conteúdo curricular: • 160 horas de oficinas de canto • 160 horas de oficinas de percussão • 160 horas de oficinas de flauta doce • Duas apresentações da Banda Sinfônica de Sobradinho • Quatro apresentações da Banda Requebrart de Samambaia • Duas palestras motivacionais e de apresentação de instrumentos.

Crédito do texto: Edmar Gomes

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas notícias

- PUBLICIDADE -

Você pode gostar