18.5 C
Brasília
- PUBLICIDADE -
InícioDistrito FederalEducaçãoSecretaria de Educação do DF lança Caderno Pedagógico Indígena

Secretaria de Educação do DF lança Caderno Pedagógico Indígena

Publicado em

Material mapeia os estudantes indígenas matriculados na rede pública de ensino

Lívia Barros, Ascom/SEEDF

 

 

Em meio ao mês de abril, no qual é celebrado o Dia dos Povos Indígenas no dia 19, a Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal lançou o Caderno Pedagógico Abril Indígena. O material, elaborado pela Subsecretaria de Educação Inclusiva e Integral (Subin), mapeia os estudantes indígenas matriculados na rede pública de ensino do DF para fortalecer os direitos desses alunos e valorizar a história e cultura dos povos originários do Brasil.

 

Em 2023, a rede pública de ensino do DF atendeu 478 estudantes indígenas. As Coordenações Regionais de Ensino com maior número de estudantes que se declaram indígenas foram: Plano Piloto (127), Paranoá (60), São Sebastião (57), Ceilândia (50) e Gama (41).

 

A diretora de Serviços de Apoio à Aprendizagem, Direitos Humanos e Diversidade da SEEDF, Patrícia Melo, explica que a prioridade da Secretaria é promover um atendimento culturalmente inclusivo, que valorize a cultura indígena dos povos originários.

 

Nosso objetivo é que a sala de aula se torne um ambiente intercultural e para que isso aconteça é preciso fazer esforços em várias áreas, como de alimentação, pois os indígenas possuem hábitos alimentares específicos, na área de transporte, para assegurar que consigam chegar até a escola, além de ter uma atenção especial na enturmação desses estudantes“, explica Patrícia.

 

O caderno divulgado para todas as unidades escolares também fornece sugestões de materiais pedagógicos para o trabalho e valorização da história e cultura indígena, como livros, filmes, documentários, músicas e podcasts. O intuito é fortalecer as ações pedagógicas que contribuem na construção de uma escola plural.

 

Formação

 

Para apresentar o material às Coordenações Regionais de Ensino (CREs), a Subin reuniu os pontos focais de direitos humanos das 14 CREs para uma breve formação que aconteceu no auditório do Centro Interescolar de Língua (CIL) 1 de Brasília. No evento, foi exibido um documentário sobre o acolhimento dos 67 alunos que fazem parte da Comunidade Indígena Warao Coromoto na Escola Classe Café Sem Troco, no Paranoá, e na Escola Classe Morro da Cruz, em São Sebastião.

 

O Governo do Distrito Federal disponibilizou dez casas para abrigar famílias da comunidade refugiada. Os indígenas moram em estruturas construídas no ano passado, fruto de uma parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) e o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur).

Fonte: Secretaria de Estado de Educação do DF

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas notícias

- PUBLICIDADE -

Você pode gostar