15.5 C
Brasília
- PUBLICIDADE -
InícioBrasilCulturaProdução brasileira é celebrada no Festival de Cinema de Pequim

Produção brasileira é celebrada no Festival de Cinema de Pequim

Publicado em

A produção cinematográfica brasileira ilumina as telas do 14º Festival Internacional de Cinema de Pequim (BJIFF). Convidado de honra do evento, o país terá quatro longas-metragens apresentados na mostra Brazil Film Week (BFW), que abriu neste sábado (20). Serão exibidos os filmes Retratos Fantasmas, Marte Um e Que Horas Ela Volta? – representantes do Brasil em outros eventos ao redor do mundo, como em disputas por vagas ao Oscar – e Uma História de Amor e Fúria – semifinalista na categoria animação ao prêmio da Academia.

A BFW integra a seção Panorama do evento, que vai até 26 de abril, e busca mostrar a diversidade e criatividade do cinema brasileiro para o público chinês. Os títulos selecionados pela curadoria chinesa abrangem diferentes temáticas, gêneros e linguagens, retratando as mais variadas regiões do Brasil.

“Para nós da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura ser o país homenageado em um dos maiores festivais da China, em si, já é uma honraria que possibilita visibilidade à produção cinematográfica brasileira diante do público chinês. Compreendendo essa importância é que trouxemos uma delegação para representar os filmes. Complementarmente, viemos com representação de governo visando dar continuidade às atividades iniciadas após a visita do presidente Lula e da ministra Margareth [Menezes] no ano passado”, afirmou Daniela Fernandes, diretora de Preservação e Difusão Audiovisual da SAV. E completou: “Em outra vertente, observamos a importância de compor a missão com agentes da distribuição mirando no fortalecimento das prospecções de mercado. Por isso, nossa agenda de divide em governamental e de negócios.”

No total, serão promovidas 20 sessões. Nas premières, o público terá a oportunidade de fazer perguntas aos produtores de cada título ao final das exibições.

O filme de abertura foi Retratos Fantasmas (2023), do cineasta pernambucano Kleber Mendonça Filho (de Bacurau e Aquarius). Apresentado nos festivais de Cannes, Nova York, Sydney, Toronto e Gramado, entre outros, o documentário ambientado no centro do Recife trata do desenvolvimento urbano acelerado desta região da cidade a partir das salas de cinema ali localizadas. 

Diretor da Vitrine Filmes, distribuidora e coprodutora do longa, Felipe Lopes enfatiza a importância da participação brasileira em Pequim. “A Vitrine Filmes sempre buscou a difusão do cinema brasileiro para diferentes públicos. E, desde 2010, estamos presentes em diversos festivais pelo mundo realizando negócios e divulgando os filmes do nosso país. A China é um mercado muito grande, no qual ainda precisamos trabalhar a relação comercial. A participação com uma delegação fortalece a presença do Brasil no Festival de Pequim e nos faz chegar em um novo espaço com mais apoio”, disse. E acrescentou: “Além disso, é uma honra ter Retratos Fantasmas exibido no país, um filme que segue conquistando espaço e público por onde passa”.

Vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em 2023 e laureado no 50º Festival de Cinema de Gramado no ano anterior, Marte Um (2022), do diretor Gabriel Martins mostra a vida de uma família de classe média baixa da região sudeste.

Na trama, a mãe reinterpreta seu mundo a partir de um encontro inesperado, enquanto o pai aposta suas fichas na carreira do filho como jogador de futebol. O garoto, por sua vez, sonha estudar astrofísica e colonizar Marte. Já a filha mais velha se apaixona e decide se é o momento de sair de casa. A história faz pensar sobre a força do afeto e o direito a sonhar, mesmo em situações adversas.

“Ser exibido em um país com a dimensão e a importância da China é um privilégio e uma honra para qualquer filme, mais ainda por se tratar da primeira experiência da Filmes de Plástico no Festival de Pequim e com um filme que muito nos orgulha. ‘Marte Um’ teve uma trajetória incrível desde o seu lançamento e é, de certa forma, uma bela forma de coroar a carreira do filme nos festivais essa exibição, pouco mais de dois anos da sua estreia em Sundance. E isso por tudo que representa o país asiático no cenário mundial. Alcançar esse mercado, aliás, é um dos nossos sonhos em relação ao alcance dos nossos filmes”, comentou o produtor do longa e sócio da Filmes de Plástico, o cineasta Maurilio Martins.

Também na seleção, Que Horas Ela Volta? (2015), da cineasta Anna Muylaert, promove uma reflexão sobre a estrutura social brasileira em um misto de comédia e drama. Após a chegada de sua filha, a empregada doméstica (Regina Casé) de uma família paulistana rica vê abalada sua relação com a dona da casa (Karine Teles).

Única animação na programação da Brazil Film Week, Uma História de Amor e Fúria (2013), do diretor e roteirista Luiz Bolognesi (de filmes como Ex-Pajé e Bicho de Sete Cabeças), acompanha um homem que, com quase 600 anos, vive vários momentos marcantes, quase sempre ao lado da mulher por quem é apaixonado. A produção fala da história do Brasil, mas também do futuro.

Produtora executiva da Gullane Entretenimento, responsável pelos dois títulos, Gabriela Tocchio exalta a importância do mercado chinês para o cinema feito no mundo. “É uma honra para a Gullane participar do 14º Festival Internacional de Cinema de Pequim e compartilhar a identidade brasileira com o público chinês por meio da Brazil Film Week. A presença dos nossos filmes Que Horas Ela Volta? e a animação Uma História de Amor e Fúria destacam a importância estratégica do mercado chinês para a indústria cinematográfica no mundo e o interesse do público pelos nossos conteúdos. Ainda, celebrar os 50 anos de relações diplomáticas entre os países, tendo o Brasil como convidado oficial, ressalta o valor dessa missão na construção de políticas de mercado voltadas para a internacionalização da promoção cultural. Que essa iniciativa acelere e consolide a colaboração entre as nossas indústrias”.



Fonte: Ministério da Cultura

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas notícias

- PUBLICIDADE -

Você pode gostar