28.5 C
Brasília
- PUBLICIDADE -
InícioBrasilCulturaMinistra participa da posse do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural

Ministra participa da posse do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural

Publicado em

“Um povo que sabe de onde vem e o que tem, ele tem uma dimensão maior diante de quem o observa”, afirmou a ministra da Cultura, Margareth Menezes, durante a posse dos novos membros do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural – órgão colegiado de decisão máxima do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), na manhã desta quarta-feira (28). O evento foi realizado na sede da autarquia vinculada ao Minc, em Brasília. 

A chefe da Cultura, que também é presidente de honra do Conselho, afirmou que chegada das novas conselheiras e conselheiros reforça o processo de valorização da cultura, seus agentes e das políticas públicas voltadas ao setor. “A cultura é viva, ela se retroalimenta. E as políticas culturais também têm essa capacidade, quando fomentadas, atendidas e feitas de uma maneira coerente e condizente com a realidade de sua população. E é isso que nós estamos buscando no Ministério da Cultura”, destacou.

Leandro Grass, que além de presidir o Iphan, também é presidente do Conselho Consultivo, deu as boas-vindas aos novos membros, e pontuou a abertura do órgão à participação social como prioridade da atual gestão. “Hoje nós retomamos, serão quatro reuniões este ano. E nesse processo todo teremos muitos frutos, muitas conquistas para que a população brasileira entenda seu patrimônio como algo seu, para ser não apenas preservado, mas projetado”, afirmou. 

O embaixador Laudemar Neto, secretário de Promoção Comercial, Ciência, Tecnologia, Inovação e Cultura, saudou o grupo, que segundo ele tem um papel importante no “resgate, visibilização e diversidade do patrimônio nacional”.

Antes dele, o coordenador-geral de Memória e Verdade e de Apoio à Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), Hamilton Pereira da Silva, pontou que “a manifestação cultural é, antes de tudo, um ato de liberdade”. Por isso, sua consolidação é tão necessária, quanto desafiadora.

O Conselho

O grupo passou de 23 para 30 membros, com a participação de novos ministérios e entidades e aumentando o número de representantes da sociedade civil. Pela primeira vez na história, o órgão conta com a participação de detentores de bens culturais e de lideranças de povos e comunidades tradicionais.

A historiadora, urbanista e mestre liderança da Comunidade Jongo Dito Ribeiro, Alessandra Ribeiro Martins, foi empossada na manhã de hoje como representante da sociedade civil. Ela emocionou os presentes ao cantar “Oi, me chamaram” logo após receber o certificado de conselheira. “É um ponto que a gente canta de ‘chegança’, de abertura de caminhos, para lembrar de onde veio e ter a certeza de quem está com muita gente, para contribuir e participar dessa reconstrução da Cultura, em especial das pessoas que vivem a cultura em seu cotidiano, de forma ancestral e coligada, e que tem muito a contribuir”.

No período da tarde, o grupo participou do primeiro dia da 103ª Reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural. Nela foi aprovado, por unanimidade, o tombamento definitivo do Conjunto da Estação Júlio Prestes, em São Paulo.

Conheça a lista completa de membros:

Presidente do Conselho Consultivo

Leandro Grass: presidente do Iphan

 

Representantes dos ministérios e entidades

Natalete Oliveira da Silva: representante do Ministério da Cultura

Samara Candeira Pinho de Souza: representante do Ministério da Igualdade Racial

Chirley Maria de Souza Almeida Santos: representante do Ministério dos Povos Indígenas

Ana Cláudia Bazzo Sá: representante do Ministério do Turismo

Tânia Mara Francisco: representante do Ministério da Educação

Pedro de Castro da Cunha e Menezes: representante do Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima

Mirela Leite de Araújo: representante do Instituto Brasileiro de Museus

Márcia Regina Romeiro Chuva: representante da Associação Nacional de História

Nivaldo Vieira de Andrade Junior: representante do Instituto de Arquitetos do Brasil

Flávio de Lemos Carsalade: representante do Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios

Loredana Marise Ricardo Ribeiro: representante da Sociedade de Arqueologia Brasileira

Amanda Carballo Cerqueira: representante do Ministério das Cidades

Flávia de Jesus Costa: representante da Fundação Cultural Palmares

Regina Maria do Rego Monteiro de Abreu: representante da Associação Brasileira de Antropologia

 

Representantes da Sociedade Civil

Alessandra Ribeiro Martins: historiadora, urbanista, mestre e liderança da Comunidade Jongo Dito Ribeiro em Campinas (SP).

Carlos Eduardo Dias Comas: arquiteto, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Gersem José dos Santos Luciano: filósofo, professor do Departamento de Antropologia da Universidade de Brasília.

Givânia Maria da Silva: educadora e quilombola. Pesquisadora sobre temas relacionados aos quilombos e territorialidades.

Joaquim Paulo de Lima Kaxinawá: professor e ex-seringueiro. Autor de pesquisas materiais e imateriais do povo indígena Huni Huĩ.

José Jorge de Carvalho: antropólogo, professor do Departamento de Antropologia da Universidade de Brasília.

José Reginaldo Santos Gonçalves: antropólogo, professor de Antropologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

José Ricardo Oriá Fernandes: historiador e advogado, membro da diretoria do Instituto Brasileiro de Direitos Culturais (IBDCult).

Lilia Katri Moritz Schwarcz: historiadora e antropóloga, professora da Universidade de São Paulo e professora visitante em Princeton.

Luciana Gonçalves de Carvalho: antropóloga, professora da Universidade Federal do Oeste do Pará.

Márcia Genésia de Sant’Anna: arquiteta e urbanista, professora da Universidade Federal da Bahia.

Nadia Somekh: arquiteta, professora emérita da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo – Mackenzie.

Nelson Fernando Inocêncio da Silva: professor do Departamento de Artes Visuais, vinculado ao Instituto de Artes da Universidade de Brasília.

Sylvia Ficher: arquiteta, professora emérita e pesquisadora sênior da Universidade de Brasília.

Tânia Nunes Galvão Verri: arquiteta, professora da Universidade Estadual de Maringá.



Fonte: Ministério da Cultura

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas notícias

- PUBLICIDADE -

Você pode gostar