18.5 C
Brasília
- PUBLICIDADE -
InícioEsportesCOI quer aumentar visibilidade dos eventos classificatórios para Jogos

COI quer aumentar visibilidade dos eventos classificatórios para Jogos

Publicado em

O Comitê Olímpico Internacional está aumentando a visibilidade dos eventos classificatórios para os Jogos Olímpicos, começando com Paris 2024, para agregar valor, disse a entidade nesta terça-feira (14), dois dias antes do início das qualificatórias de quatro esportes.

O primeiro evento da série inaugural de qualificatórias olímpicas para Paris será em Xangai, de 16 a 19 de maio, seguido por Budapeste, de 20 a 23 de junho, com mais de 150 vagas para os Jogos em disputa no breaking, BMX freestyle, skate e escalada esportiva.

“Este é um projeto extremamente empolgante. Ele reúne uma série de iniciativas e inovações importantes… sempre com foco no esporte e nos atletas”, disse Kit McConnell, diretor de esportes do COI, em uma coletiva de imprensa online.

O processo de qualificação para cada esporte é determinado e administrado por sua respectiva federação internacional, com mais de 3.000 eventos realizados em um período de dois anos antes de cada Jogos.

O COI, no entanto, espera que, ao reunir quatro esportes e centenas de atletas para a série que também inclui eventos de arte, música e moda pouco antes do início dos Jogos Olímpicos de Paris, em 26 de julho, maximizará a visibilidade dos esportes, dos atletas e dos Jogos.

“Esses eventos em Xangai e Budapeste são o ponto culminante desse caminho de qualificação olímpica”, disse McConnell. “Queremos celebrar esse caminho, agregar valor às federações internacionais, aos anfitriões, aos atletas e às equipes. Uma promoção mais forte desse caminho de qualificação.”

Nos últimos anos, o COI tem trabalhado arduamente para manter as Olimpíadas relevantes para o público entre cada edição de Jogos, incluindo a criação de um canal olímpico com produções internas e cobertura das classificatórias dos Jogos e outros eventos esportivos.

* É proibida a reprodução deste conteúdo.



Fonte: Agência Brasil

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas notícias

- PUBLICIDADE -

Você pode gostar