Treinamento coloca motoristas de ônibus no lugar de ciclistas

Cerca de mil condutores experimentaram, na quinta-feira (2), como é andar de bicicleta na mesma via de circulação de veículos pesados e mais velozes

Agência Brasília* I Edição: Débora Cronemberger

“Achamos importante que os condutores de ônibus sintam a mesma sensação que o ciclista tem quando um veículo passa muito próximo. Com esse treinamento, entendemos que os motoristas vão aumentar a sua conscientização de respeito aos ciclistas no trânsito”Valter Casimiro, secretário de Transporte e Mobilidade

As empresas de ônibus do DF vão oferecer treinamento aos seus motoristas para que dirijam com respeito e cuidado com os ciclistas. A medida é recomendada pela Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) e consiste em demonstrações práticas com simulação de trânsito, além de aulas teóricas e palestras abordando a legislação e a convivência com os ciclistas nas vias da capital.

Cerca de mil motoristas da empresa Piracicabana passaram pelo treinamento nesta quinta-feira (2). O exercício foi feito na garagem da empresa, com uso de bicicletas de alta performance e a simulação de uma via de trânsito, em que os ônibus passam muito perto da pista por onde circulam as bikes. No lugar dos ciclistas, os motoristas puderam sentir como é pedalar ao lado de veículos pesados e mais velozes.

“Aqui a gente sente a importância de tomar os cuidados no dia a dia, mantendo a distância para proteção dos ciclistas”, comentou o motorista Luciano Antônio Ribeiro (à frente) | Fotos: Divulgação/Semob

“Achamos importante que os condutores de ônibus sintam a mesma sensação que o ciclista tem quando um veículo passa muito próximo”, explicou o secretário Valter Casimiro. O titular da Semob lembrou que é um direito do ciclista andar na mesma via dos veículos. “Com esse treinamento, entendemos que os motoristas vão aumentar a sua conscientização de respeito aos ciclistas no trânsito.”

O motorista Luciano Antônio Ribeiro participou da aula prática. Para ele, foi importante se colocar no lugar do ciclista, mesmo sendo em uma situação de simulação do trânsito. “Aqui a gente sente a importância de tomar os cuidados no dia a dia, mantendo a distância para proteção dos ciclistas. A partir de agora, vamos tomar mais cuidado ainda, porque vimos que essa conscientização é importante para salvar vidas”, disse.

Treinamento realizado nesta quinta-feira (2), na empresa Piracicabana, teve a participação de cerca de mil motoristas

De acordo com dados da Federação Metropolitana de Ciclismo do Distrito Federal (FMC-DF), o DF conta com mais de 1,1 milhão de bicicletas e cerca de 500 mil ciclistas ativos. A capital é a segunda do país em extensão da malha cicloviária, com 633,496 km de ciclovias. Segundo o presidente da FMC, Júlio César Rieder, conhecido como Japa da Bike, o treinamento promove uma aproximação dos motoristas de ônibus com os ciclistas.

O presidente da Federação Metropolitana de Ciclismo do Distrito Federal, Júlio César Rieder, participou do treinamento

“Estamos aqui a convite da empresa para prestar uma série de informações aos motoristas. Uma delas é que o ciclista de alta performance é proibido de andar na ciclovia devido à sua velocidade, então ele vai dividir a pista com os veículos e com os ônibus. Numa ciclovia comum, a velocidade máxima da bicicleta é de 20 km/h, enquanto o atleta atinge até 50 km/h”, explicou.

A Piracicabana informou que promove diversas reuniões e treinamentos nos quais os motoristas recebem informações sobre a importância do respeito no trânsito. Segundo o diretor da empresa, Fausto Mansur, a partir de agora, o treinamento recomendado pela Semob será permanente.

O instrutor de motoristas da Piracicabana, Airton Lopes da Silva, disse que a meta da empresa ao oferecer o treinamento é contribuir para reduzir ou até mesmo zerar os acidentes envolvendo ônibus e bicicletas.

“A gente mostra a diferença entre uma pessoa que é educada e aquela que não tem educação no trânsito, e buscamos melhorar o relacionamento entre os motoristas e os ciclistas. O principal objetivo é mostrar a importância da vida. Não é respeitar somente a máquina, é respeitar a vida, porque não existe nenhuma máquina andando por aí sem uma vida no seu comando”, afirmou.

*Com informações da Semob

Deixe um comentário