Governo investe R$ 1 milhão na compra de produtos da agricultura familiar

Lançado edital do Papa-DF para aquisição de mais de 200 toneladas de alimentos; cestas serão destinadas a pessoas em situação de vulnerabilidade

Agência Brasília* I Edição: Débora Cronemberger

Alimentos adquiridos pela chamada pública serão destinados a pessoas em situação de vulnerabilidade alimentar e social | Foto: Divulgação/Seagri

O edital foi publicado no Diário Oficial do DF (DODF) nesta quinta-feira (2). Os volumes serão definidos previamente pela Secretaria da Agricultura (Seagri) em cada entrega, atendendo as demandas dos sistemas de segurança alimentar e nutricional. A cesta apresenta grande diversidade de frutas, legumes e verduras, para melhor atendimento das demandas nutricionais.

“O governo Ibaneis investiu na compra direta dos produtos da agricultura familiar para atender, ao mesmo tempo, o pequeno produtor e a família carente que precisava de alimento”Candido Teles, secretário de Agricultura

Os alimentos adquiridos serão destinados a pessoas em situação de vulnerabilidade alimentar e social, atendidas por instituições socioassistenciais cadastradas no Banco de Alimentos da Ceasa e no programa Mesa Brasil Sesc. O Papa-DF é um programa de compras institucionais do governo que fomenta a comercialização de produtos da agricultura familiar e promove a segurança alimentar e nutricional.

O secretário de Agricultura, Candido Teles, ressalta a importância dessa iniciativa do GDF, em especial no contexto da pandemia: “Quando viu o produtor sem ter para quem vender o seu produto, e do outro lado famílias passando necessidade, o governo Ibaneis investiu na compra direta dos produtos da agricultura familiar, para atender, ao mesmo tempo, o pequeno produtor e a família carente que precisava de alimento”.

Segundo o diretor de Compras Institucionais da Seagri, Lúcio Flávio da Silva, a aquisição por meio do Papa-DF contribui para o desenvolvimento socioeconômico da agricultura familiar e para a segurança alimentar da população mais necessitada.

“As compras institucionais apoiam a agricultura familiar em sua última etapa de produção, aquela que justifica todo o seu esforço, que é a venda de seus produtos. Isto propicia o exercício de cidadania e a geração de emprego e renda no campo”, afirma Lúcio.

Vai até 1º de julho o prazo para as organizações e os agricultores familiares interessados em fornecer as cestas de alimentos encaminharem ao setor de Protocolo da Seagri, localizado no edifício-sede da secretaria, os documentos de habilitação e a proposta de venda.

Confira aqui os documentos relacionados à chamada pública Papa-DF 01/2022.

*Com informações da Seagri

 

Deixe um comentário